18 de julho de 2018
Dinheiro vivo, pesquisa de preços e versatilidade ajudam os turistas na hora de economizar no balneário do Sul da Bahia

Fitinhas do Bonfim amarradas atrás da Igreja Nossa Senhora d’Ajuda: tradição e fé

Crise e alta do dólar têm impacto direto na escolha do destino de férias. Como viajar para o exterior com a moeda americana ou o euro nas alturas? Nesta hora, destinos nacionais ganham força e um lugar que eu adoro, mas que também não é muito baratinho, é Arraial d’Ajuda, na Bahia. O distrito de Porto Seguro é diversão garantida para quem curte belas praias, ótima gastronomia de peixes e frutos do mar, agito noturno e a malemolência e simpatia dos baianos.

Acabei de voltar de uma temporada no Arraial e separei algumas dicas que podem ajudar na hora de economizar, sem abrir mão do conforto e da diversão.

Piscinas naturais da Praia do Parracho: quando a maré baixa, os corais aparecem

1- Época certa

Todo mundo sabe que na alta temporada , os destinos turísticos ficam muito mais caros. Em Arraial, então, nem se fala. Só que o Sul da Bahia tem a vantagem de ter sol praticamente o ano todo. Fora da alta temporada, que começa depois do Natal e segue até o Carnaval, os preços caem bastante, as barracas de praia ficam mais vazias e , portanto, sedentas de clientes. As férias de julho já são consideradas média temporada e atraem bastante turistas. mas mesmo assim, os preços ainda são convidativos. Às vezes pode cair uma chuvinha, momento para dar uma voltinha pela Rua do Mucugê com suas lojinhas descolada e restaurantes legais.

Loja Terima Kasih, na Rua do Mucugê: produtos de Bali, Polinésia e Índia e arquitetura sofisticada

2- Transporte

Não tenha medo de pegar van ou ônibus no Arraial. As vans te trazem e levam da balsa que liga o distrito a Porto Seguro, vão para praias (como Pitinga e Araçaípe) e custam de R$ 3,50 a R$ 4,00 por pessoa. Dá pra ir de ônibus para Trancoso e até Caraíva. Sem contar que Arraial é pequena e linda e é uma delícia andar a pé. Para se ter uma ideia, um transfer Aeroporto-Balsa-Pousada no Arraial custa R$ 150. Para um casal, dá R$ 75 por pessoa. O mesmo trajeto feito de táxi aeroporto-balsa (R$ 30 a R$ 35 ), balsa (R$ 5 por pessoa) e van (R$ 3,50 por pessoa) sai por menos de R$ 50 reais. Já se preferir um táxi da balsa até a pousada, acrescente aí uns R$ 25. Ou seja, metade do preço. Vale a pena tentar.

Petisco de berinjela doce e pasteis na Barraca do Corujão, na Praia de Araçaípe: ambiente “cool” no Arraial

3- Lugares bacanas –

Sempre que viajo e encontro um lugar bacana, volto nele e recomendo. Não curto muito música alta, badalação ou criançada jogando areia na minha canga – nada contra a criançada, mas na praia prefiro lugares mais sossegados. Seguindo esta lógica, recomendo duas barracas de praia que considero muito bacanas em Arraial. Na praia do Parracho, meu point é a barraca Coco Verde. Sem música alta, atendimento bom e preços ok. Na média temporada de julho, é fácil conseguir uma mesa e espreguiçadeiras de frente para o mar verde e transparente ( ou é azul?). Quando a maré baixa, piscinas naturais se formam ali, para um banho tranquilo. E na maré alta, o mar também é super convidativo e seguro para banho. Uma moqueca de dourado para duas pessoas sai por R$75, com arroz, pirão e salada.

Moqueca de dourado, peixe da região

Já na praia de Aracaípe, mais exclusiva e que dá para ir de ônibus, van ou táxi sentido balsa, adorei a barraca Corujão. Os petiscos são diferentes das outras barracas. Ali comi uma caponata de berinjela doce e salgada com pão de leite (R$18) e porção de pastel com 4 unidades (R$15) que valeram por um almoço. Não tem guarda-sóis e sim uma tendinha branca que cobre as mesas de frente para o mar. Espreguiçadeiras de couro branco dão um charme ao lugar. Para quem não é da turma do sertanejo, pagode ou axé, a trilha é bem bacana: rock, lounge e pop. Curti!

Turistas passeiam pela famosa “Broadway” baiana: lojas e restaurantes com preços mais populares

4- Quando o sol se põe

Nem só de praia vive o Arraial. A noite é uma das mais badaladas do Sul da Bahia, com opção para todos os gostos e gêneros musicais. Um lugar muito massa, como dizem lá,  é o Armazém Santo Antonio, na Praça da Igreja. Super charmoso, com decoração vintage e que e quinta-feira tem o Samba InCasa, um grupo mineiro de samba que só toca clássicos. Tem uma pequena pista para dançar muito. Se a fome bater, experimente as pizzas e empanadas artesanais.

E para bater perna à noite, além da charmosa Rua do Mucugê, a mais famosa do Arraial, tem a Broadway, que é mais “roots”, com lojas e restaurantes mais baratos, mas super divertida e econômica para comprar uma lembrancinha da viagem, tomar um caldo ou uma cerveja e com várias farmácias.

Samba no Armazém Santo Antonio: grupo mineiro diverte turistas e locais todas as quintas

5- Promoções

Fique de olho nas promoções do Arraial. De terça a quinta, restaurantes, lanchonetes e sorveterias dão desconto. No restaurante Portinha, um dos mais tradicionais da vila, quinta-feira o buffet livre custa R$ 29. Com saladas, pratos quentes e sobremesas divinas incluídos. Um ótimo almoço barato. O preço normal é R$ 59 o quilo. Fica no Shopping horizontal na Rua do Mucugê.

A sorveteria D’Gust também faz promoção de terça e quarta-feira. O quilo do sorvete cai pela metade – de R$ 44 por R$ 22. Dá para se lambuzar com os sabores regionais como cupuaçu, açaí ou maracujá, ou cair matando no sorvete de Nutella ou chocolate amargo.

Tem uma loja incrível no Arrail chamada Terima Kasih, que vende produtos da Ásia (Indonésia, Bali, Índia etc). Tem itens muito caros e exclusivos, mas dá para garimpar algumas promoções. Chinelos de Bali por R$25, imãs de geladeira diferentes por R$5 e espelhos de parede por R$30 podem ser presentes diferenciados, com preço bom.

E de quarta-feira é a Noite das Mulheres no Bar do Xaxá. Peça um drinque e ganhe o outro de graça. Escolhi Aperol Spritz, mas tem caipirinhas variadas e outros drinques para provar.

Devem ter outras promoções, só listei estas, mas vale pesquisar, perguntar para os locais, procurar na internet.

Dragões da loja Terima Kasih: sofisticação e souvenirs de viagem

6- Dinheiro vivo

Ande com dinheiro se quiser pedir desconto. Muitas lojas dão desconto de 10 a 15% para quem pagar “in cash”. Arraial só tem um caixa eletrônico, que às vezes fica sem dinheiro. Saque no aeroporto antes de ir para lá.

7- Amplie os horizontes

Saia do circuito Rua do Mucugê e barracas de praia se quiser comer bem e barato. Uma dica são os restaurantes da Alameda do Flamboyant, paralela à Rua do Mucugê, super charmosinha e com preços mais convidativos. As travessas da Rua do Mucugê também têm opções com bons preços. Ande, caminhe e pergunte. Na praia, em vez de sorvete Nestlé ou Kibon, experimente o sorvete Baianinho. O picolé custa R$3 e tem vários sabores de frutas típicas do Nordeste. O de graviola é uma delícia.

8- Comida de rua

Sempre que viajo tiro um dia para comer comida de rua. As surpresas são sempre bem vindas, dá para economizar bastante e ainda descobrir novos sabores. No Arraial, escolhi um dia para almoçar acarajé na praça dos hippies, cheia de barraquinhas de comida, bebidas e doces variadas. Um acarajé completo, com vatapá , caruru, bobó de camarão e camarão seco, frito na hora no azeite de dendê, custa R$10. De sobremesa, experimente a Tapioca do Luciano, sabor coco fresco com leite condensado, por R$10. Tem ainda a barraca do Lambadeiro, que vende drinques típicos como Capeta ali pertinho, mas esta não experimentei…

9- Pesquise (Nativos e Internet)

A internet é uma fonte inesgotável de boas dicas de viagens , como este post aqui. Então, saia um pouco das redes sociais, deixe de lado por uns instantes de postar fotos no Instagram e pesquise sobre o lugar para onde vai viajar, ou onde está viajando. Outra fonte de boas dicas para economizar são os nativos e locais. Que tal conversar com as pessoas do lugar? Na Bahia, então, terra de gente tão simpática e acolhedora, com certeza, várias dicas vão aparecer de um bate-papo na fila do caixa ou do banheiro.

10- Aproveite

Está viajando? Aproveite! Coma o que tiver vontade, faça o passeio que achar bacana, visite o lugar que sempre quis. Claro que economizar é importante, mas sempre penso que , se fui até lá, devo aproveitar ao máximo. Depois a gente trabalha e ganha de novo.

Espero que tenha gostado das dicas. Se tiver outras, comente.

Praia da Pitinga: preços mais altos e falésias ao fundo

Fotos: Andrea Martins e Jarbas Capusso

 

 

 

por

  • A volta da Loira do Banheiro
  • Antes de casar, Doda lança campeonato hípico com prêmio de R$ 2 milhões
  • Barbie hipster, exposição étnica e outras histórias da boneca mais famosa do planeta
  • Comente pelo facebook:

    Deixe um comentário

    2 Comentários em "10 dicas para curtir Arraial d’Ajuda com orçamento enxuto"

    avatar
    Karina
    Visitante

    Vou ser obrigada a ir de novo pra aproveitar tudo isso que li aqui, rs simplesmente o máximo! Adorei a matéria!

    wpDiscuz