18 de junho de 2013
Sem categoria
Dicas para quem passou dos 40 protestar de maneira eficaz 


A primeira manifestação a gente nunca esquece. 


1992: era dos caras-pintadas.

Botei verde e amarelo no rosto, tarja preta na manga da camiseta, peguei minha bandeira do Brasil e fui protestar na Paulista. 

Era estudante e tinha a obrigação de participar daquele movimento histórico, que resultou no impeachment de Fernando Collor. 

A sensação era de deslumbramento, afinal, ver a massa na rua, protestando era um frisson diferente, que só entende quem estava lá. Não tinha Choque , nem bala de borracha…

As fotos (em papel) estão em alguma gaveta…  

E tinha também o o jovem paraibano Lindbergh Farias, então presidente da UNE ( União Nacional dos Estudantes) que falava bonito e comandava a galera. Virou senador e está sendo investigado pelo STF.


Me lembrei disto porque ontem não fui à manifestação!

Razões profissionais e uma gripe forte, com direito a dor no corpo e de cabeça, me obrigaram a abdicar deste outro momento histórico. 

Quando vi aquela galééééra andando do Largo da Batata até o Morumbi, pensei que tinha tomado a decisão certa. Não ia aguentar andar tantos quilômetros.

Mas os quarentões de plantão, que já têm no currículo alguns protestos e muitas histórias, podem se manifestar de maneiras diversas e bastante eficientes.

1- Vá à sub-prefeitura do seu bairro e reclame (Ah, não sabia que isto existia? Pois é: veja lista de São Paulo aqui, não tem desculpa).

2- Não aceite ou dê propina. Nunca. Em nenhuma ocasião. Pra ninguém.

3- Reclame. Denuncie as empresas no Procon. Elas podem ser multadas e só vão melhorar os serviços se sentirem a multa no bolso.

4- Você se lembra em quem votou na última eleição? Difícil né? Force a memória, lembre-se e entre em contato com o vereador, deputado ou senador. Mande um email – diário – para eles…

5- Não use o voto de protesto para eleger caricaturas políticas. Isto só funcionava na época do voto em papel, em que as pessoas desenhavam um pênis na cédula como forma de protesto.

6- Desconfie do que ler nas redes sociais. Nem tudo que é postado no Facebook é verdade…

7- Informe-se em mais de um veículo de comunicação, compare as reportagens e faça análises. Junte informações com fatos, o famoso lé-com-cré.

8- Peça nota fiscal para tudo.

9- Deixe o carro na garagem pelo menos uma vez por semana. 

10 – Vá a uma manifestação.

#AcordaBrasil

Fotos: reprodução

            

   


por
Comente pelo facebook:

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz