29 de outubro de 2012
Sem categoria
 
 
Hotel Mamilla, assinado pelo arquiteto israelense Moshe Safdie e com design de interiores do italiano Piero Lissoni, contrasta modernidade e tecnologia com cenário milenar da cidade histórica
 
Israel não estava entre os meus destinos de sonhos ou lugares preferidos para passar férias. Que erro! Visitei Jerusalém e pude constatar que o lugar deveria entrar na lista dos “Dez mais” de qualquer pessoa interessada em História, Geografia, Religião ou mesmo compras. Abaixo segue uma reportagem que escrevi sobre o Hotel Mamilla, um dos mais modernos da cidade, para uma revista de life style. O texto acabou não sendo publicado, mas resolvi compartilhá-lo neste blog. Boa leitura! 

 
 

No coração de Jerusalém

 
Ir à Israel e visitar Jerusalém já é uma experiência única. Poder se hospedar ao lado da cidade antiga, com uma vista panorâmica de tirar o fôlego de toda área histórica, um privilégio. Os hóspedes do Hotel Mamilla, o empreendimento-boutique mais badalado da cidade, estão nesta categoria de privilegiados, tanto pela localização como pela qualidade estética e de conforto do lugar.
 
Lateral do hotel, situado sobre um boulevard de compras
 
Seja pela espiritualidade, história ou arquitetura, a cidade sagrada para três religiões – judaísmo, islamismo e cristianismo- oferece diversas opções luxuosas para hospedagem, mas o Mamilla tem um charme único. Inaugurado em 2009, o hotel está situado na parte mais histórica e visitada da cidade: ao lado da muralha que circunda a área milenar do município, conhecida como Jerusalém Antiga.
 
Só a vista ao final de tarde, tomando um drinque no bar-restaurante da cobertura, já compensa os custos de hospedagem. Ali, naquele momento, com uma visão de 360 graus, descobre-se porque a cidade é conhecida como Jerusalém de Ouro: revestido de pedras brancas, que refletem os raios de sol, o lugar ganha um brilho dourado no fim do dia. Outro Martini é fundamental para apreciar calmamente a paisagem…
Vista panorâmica do bar no topo do hotel
Localizado próximo ao Portão de Jaffa, um dos oitos na muralha que dão acesso à parte histórica, o Mamilla se destaca pela harmonia entre o antigo e o moderno, um mix que combina uma perspectiva distintamente internacional com o património cultural único do lugar. O empreendimento, assinado pelo arquiteto israelense Moshe Safdie e com design de interiores de Piero Lissoni, segue a lei municipal que obriga que todas as construções sejam revestidas com a pedra branca de Jerusalém, para manter a harmonia e característica da cidade.
  
No Mamilla, as paredes de pedra contrastam com o interior elegantemente decorado com mobília moderna, com grande ênfase na iluminação dos espaços. Mapas históricos da cidade decoram as paredes. O amplo hall de entrada, no piso térreo, é separado da rua por grandes janelas de vidro e foi totalmente revestido com blocos de pedra em formatos diferentes, que dão profundida à superfície. O toque milanês fica por conta da mecla de móveis antigos e contemporâneos nos ambientes.
 
Escada-origami
 
Escada em metal dobrada como um origami na entrada do hotel
 
Mas o principal componente arquitetônico desta área são as escadas recortadas, que contrastam com as paredes de visual antigo. A estrutura estava sendo inicialmente constuída em metal preto brilhante, mas durante a obra, optou-se por uma folha de aço não-tratada, com a mesma textura áspera das paredes de pedra. Semelhante a uma escultura gigante de origami, as escadas dobradas conectam três níveis do mezanino.

O Bar Mirror, no terceiro andar, é particularmente notável entre os cinco bares e restaurantes do hotel: um lustre com dez metros de comprimento, as paredes espelhadas e o mobiliário elegante transformaram o lugar em um marco da vida noturna de Jerusalém. Para quem quer tomar um drinque e apreciar o vai-e-vem do boulevard ao lado do hotel, pode optar pelo Mamilla Bar, cuja área externa fica sobre a famosa avenida de compras e entretenimento, a Alrov Mamilla Avenue.

 
 
Bar Mirror: arquitetura moderna e ambiente cosmopolita
 
 
Nos 194 quartos e suítes decorados por Lissoni destaque para a madeira escura nos móveis e piso, em contraste com o banheiro com paredes de cristal líquido transparentes, equipado com botão de “privacidade”: basta um toque para as paredes de vidro ficarem opacas. Mármore e uma banheira branca completam o visual sofisticado do ambiente.
 
Banheiro com parede de cristal líquido: basta um toque para o vidro ficar fosco 
 
 
Para o lazer do hóspede a piscina subterrânea com mosaicos nas paredes nos tons de azul garante momentos de relaxamento sem sol. Já o bronzeado pode ser conseguido no solarium localizado na cobertura do hotel. O spa Akasha, um centro holístico elegante com quatro diferentes áreas, que correpondem aos quatro elementos da natureza (água, terra, fogo e ar),   completa as opções de relaxamento, com aulas de ioga, pilates, meditação e massagens corporais.
Piscina subterrânea com mosaicos em tons de azul
 
 
No quesito alimentação, quem nunca experimentou a culinária kosher, que não mistura carne e leite, vai se surpreender com o farto, exótico e delicioso café da manhã. No lugar do bacon ou presunto, saladas, omeletes e queijos de cabra suculentos convidam o hóspede a gastar um tempo extra na primeira refeição do dia, apreciando o jardim delicado do pátio interno do hotel. O serviço do café da manhã só fica mais simples nas manhãs de sábado por causa do shabbat, o dia do descanso judaico, que deixa até as luzes dos corredores e quartos mais baixa e o ambiente mais silencioso. Sem dúvida, uma aula de cultura em tempo integral.
 
Serviço: www.mamillahotel.com
Preços: diárias a partir de US$ 340
 
*viajei à Israel para acompanhar o show do cantor Roberto Carlos em Jerusalém. Escrevi este texto para uma revista que, infelizmente, acabou. Resolvi publicar o texto aqui no blog. 
 
Imagens: Reprodução
 
Curtam a página do Atitude 40 no Facebook: www.facebook.com/Atitude40 
por
Comente pelo facebook:

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz